A Rosa

rosa

Foto de Nathali Dreher

Desabrochou em um jardim uma pequenina rosa. Este jardim ficava na propriedade de uma família um tanto melancólica, que sobrevivia da venda das flores de seu jardim. A família era rodeada de problemas: a mãe era doente e o filho tinha que cuidar dela, pois o pai se perdia em ilusões sobre um tesouro de sua família, possivelmente enterrado na propriedade, e as duas inocentes irmãzinhas caçulas de nada tinham noção.

A Rosa, que crescia rapidamente na propriedade, presenciava várias discussões: pai e filho tentando resolver a situação financeira muito complicada em que se encontravam. O pobre filho sonhava em ser jornalista, mas tinha que cuidar de sua mãe ao invés de ir para uma faculdade. Enquanto isso, o pai alimentava as esperanças no tesouro perdido. E a mulher de nada sabia, só ficava na cama a pobre mulher.

Naquele inverno, que muito rigoroso se tornava, a família perdia muitas de suas rosas, e chegou um dia em que até a Rosa caiu. O pai, cada vez mais desesperado para encontrar o tesouro e melhorar a situação, saiu em sua busca, mas acabou se perdendo pela noite fria na propriedade. O filho, preocupado, foi em busca do pai, começando pelo bosque ao lado de suas terras. Gritou e gritou, mas nada do pai. Subiu a serra, que não era longe da casa, mas nada encontrou. Olhou até no galinheiro, mas nada do louco do velho. Em sua última e mais desesperada opção, olhou no jardim, onde o pai nunca realmente procurara, e o encontrou desmaiado no chão. Levou-o correndo para dentro da casa, e lá cuidou dele até que melhorasse. Ao tomar de novo a consciência o pai dançou, pulou e cantou. Algo bem estranho para um senhor como ele. O filho, que nada entendia, tentou acalmá-lo, mas o velho o puxou para mais perto e dançou com ele. O coitado do filho, ainda confuso, perguntou a razão de tanta emoção, já pensava que o pai havia enlouquecido. E ao ouvir da boca do pai que ele entraria para a faculdade sem ter de se preocupar com a doente mãe, também desatou a dançar. Quem diria que bem debaixo da esquecida Rosa o pai encontraria suas ilusões?

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s