Mais um texto sobre o tempo

Não vejo a necessidade de me desgastar em um texto muito longo hoje. O excesso de palavas seria apenas um capricho, a ruminação de uma ideia totalmente gasta. Vejo o trabalho de escrever como perda de tempo neste dia em que, ironicamente, só consigo pensar sobre esse tal passar de horas e anos.

Pode ser que isso seja só mais uma fase. Afinal, nós, pessoas jovens, somos cheias delas. Contudo, posso, também, enxergar esse tal do tempo escorrer pelos vãos dos dedos. Acredito que esse seja um pensamento que abrange um pouco mais que um momento, e às vezes se torna a percepção de uma dura realidade, ou toma a forma de apenas mais um monstro que mora embaixo da sua cama.

Seja por causa da pressa, da impaciência, do cansaço, do tédio, da saudade… Sempre existe um motivo para arranjar uma briga com ele. Desde motivos mais reflexivos, como o fim de uma época, à situações mais triviais, como ao esperar sua comida ser esquentada no microondas.

O relógio se movimenta e a gente se surpreende. É como se ele risse da gente. Fico pensando como seria se nós tivéssemos mais coragem e ríssemos dele também…

(Às vezes parece que eu só escrevo sobre o tempo. Socorro)

Anúncios

Separados pelo espaço e tempo

Foto de Paulo Otávio Diniz Rodriguez

Foto de Paulo Otávio Diniz Rodriguez

Algumas pessoas a gente nunca esquece.

Sigo em frente com minha fria rotina, mas não consigo evitar pequenos detalhes que me fazem lembrar daqueles momentos tão especiais. Na época, considerava mais um dia vivido. Agora, no mundo das lembranças, algo cheio de sentido.

Todas as risadas, piadas, besteiras e dramas alimentados pela intensidade de uma fase formam essa nuvem de nostalgia. O que um dia era motivo de grande ansiedade, torna-se apenas uma memória antiga.

A saudade chega, mas eu entendo que tudo deve permanecer onde está. Cada um encontrando o seu lugar. Uma corrida rumo a assuntos que podemos um dia ter até discutido sobre. A realidade chegou e temos que correr. Mesmo que isso signifique um “pra sempre” sem te ver.

A prova de que a amizade é verdadeira está no meu sorriso quando vejo que algo deu certo para você. Alegro-me com cada vitória sua, apesar de não estar presente quando elas vêm a acontecer.

Desejo que você viva plenamente, desfrute de toda alegria eterna.

(Uma homenagem a todos os amigos que passaram pela minha vida)

Quer acompanhar o blog? Facebook/Twitter

Valorizo meus “tic tacs”

Ler meus textos antigos me dá aquela sensação de observar a paisagem enquanto se viaja de carro. De tudo se mexendo e do tempo passando. Ou talvez até de um grande borrão devido a alta velocidade.

Também é curioso pensar em como esse tal do” tempo” tem sido tão marcante em boa parte dos meus escritos até pouco tempo. Afinal, por que uma pessoa que supostamente ainda possui muito dele se preocuparia tanto?

Só digo uma coisa, meus caros amigos: certas coisas simplesmente não querem ser explicadas de forma direta, clara e concisa. Além disso, não conseguiria, nem se tentasse arduamente, porque a ideia tem o desejo de mostrar quem e como é, apesar de estar, em boa parte dos momentos, envolta em casacos, chapéus e máscaras. Por dentro, ela está nua. “Como veio ao mundo”.

Quer ler mais?

Gangorra

Confusões e confusões

A avó

Álbum de fotos

Pesca de sábado

Trocados

Fim de mais um dia

 

Aqueles tempos sem tempo 2

reloj

Faz séculos que não paro para escrever um texto sobre o que estou pensando no momento, e senti muita saudade disso. Sei lá, parece que as férias são o momento em que meu cérebro fica mais desligado de tudo aquilo que envolve opinião. Dá preguiça de pensar. Normalmente, planejo mil coisas para fazer e adivinha? Faço quase nada. Quase, porque não cheguei a sentir o famoso “tédio” das férias dessa vez. De alguma forma, acabei fazendo bastantes coisas e quando não fazia nada era para descansar mesmo.

Ainda assim, sinto que poderia ter exercido muito mais a minha criatividade (escrevendo, fazendo videos, etc), e isso é lamentável. Também não vi nem metade dos filmes e séries que queria. Mas, acho que dá para compensar.

Ou não. Estou no último ano do Ensino Médio e isso significa que não terei muito tempo (ou seja, nenhum), para desenvolver coisas pelas quais eu realmente me importo. Isso não significa que eu vou parar de escrever no blog. Estou esperançosa de que meus métodos de organização e disciplina vão funcionar, e poderei fazer posts bons ao longo do ano.

Aliás, acredito que duas palavras que poderão se tornar um tipo de “lema” são essas duas: organização e disciplina. Acredito que sabendo trabalhar com elas, você já consegue chegar um pouco mais perto do que quer. Também não dá para esquecer de pensar positivo e não se abalar com qualquer coisinha que der errado. Fica a dica se você tem metas para 2014.

Isso me fez lembrar de um video que assisti há alguns dias. Talvez, possa ajudar se você tem problemas para alcançar seus objetivos:

Quer ver mais videos da Lully? Clique aqui.

Caso você não tenha entendido o porquê do “2”: Aqueles tempos sem tempo (o primeiro da saga lol)

Se quiser acompanhar o blog:  Fanpage/Twitter/Instagram

Confusões e confusões

Segundo meu planejamento, hoje estaria mudando o nome do blog e divulgando o twitter dele para vocês. Além disso, estaria apresentando uma nova rotina de posts e uma colaboradora. Mas parece que o quanto mais você planeja algo, maiores as chances de dar errado.

Sempre é assim comigo: planejo, vou com tudo e dá errado.  E ainda não tenho certeza se coloco este post na categoria de “Comportamento” ou “Outros”. Bem, não importa. Colocarei nas duas. Não era disso que estava falando mesmo.

O que eu quero dizer é que planejar e ter objetivos é importante, só que não devemos simplesmente contar que aquilo vai acontecer. Não sabemos do futuro, nem temos certeza do que acontecerá amanhã, embora achemos que sim.

Acho que essas reviravoltas da vida acabam acontecendo porque começamos a achar que temos controle completo sobre tudo o que nos acontece. Deixamos de refletir e, para quem acredita em Deus, esquecemos de perguntar para Ele se aquilo que estamos dispostos a fazer realmente é o melhor para nós. Esquecemos que não podemos simplesmente manipular todos os fatores em nosso favor, porque existem, em alguns momentos, regras que proíbem o prosseguimento de nossas vontades.

Parece injusto, mas não é. Quem sabe o tipo de repercussão que certas ações podem gerar no futuro? Naquele distante que admitimos não conhecer, ou até no amanhã “manipulado”…

Com todas essas palavras confusas, quero passar uma simples mensagem: não sejam precipitados. Tudo acontece em seu tempo. Vale a pena esperar.

Algumas frases para pensar sobre isso:

“A precipitação é a mãe do fracasso” Heródoto

“Agir sem pensar não é bom; quem se apressa erra o caminho” Provérbios 19.2

(Ah, e caso alguém venha me perguntar se escrevi isso porque fiquei triste porque algumas coisas saíram errado, saiba que estou bem e só achei que seria interessante compartilhar essa reflexão que tive quanto a tudo isso)